quarta-feira, junho 30, 2004

ERA SÓ O QUE FALTAVA

Sério, estou me sentindo insultado. Acabei de ler na Guitar Player desse mês que o G3 (Vai/Satriani/Malmsteen) fecha os shows tocando "Rockin´in the Free World", e que a música serve para que cada um faça seu solo de zilhões de minutos. Absurdo. Esses caras deveriam ser presos. O Código Penal dos EUA deve ter algum artigo prevendo isso, não é possível. Algum advogado me ajude, precisamos impedir - legalmente - que isso aconteça por mais vezes. Cadeia neles!

terça-feira, junho 29, 2004

MENOS É MAIS

Certas canções conseguem, em meros três minutos, sintetizar tão bem o sentimento de quem as compôs, que fica difícil ficar incólume a elas, quer você goste do artista/estilo ou não. São apenas três ou quatro acordes, uma letra simples e tão direta que chega a desconcertar, e pronto: eis um hino. Entre elas, posso incluir "Redemption Song", de Bob Marley, "Dreamin´Man", de Neil Young, e a mais sensacional de todas, o Hino dos hinos. Uma canção tão emocionante que te deixa sem ação quando você a ouve. Se você conhece, com certeza já se emocionou. Se não conhece, leia a letra mais fantasticamente direta de todos os tempos. E depois ouça a magistral interpretação. E tente não chorar.

TEENAGE KICKS

(The Undertones)

Are teenage dreams so hard to beat
Everytime she walks down the street
Another girl in the neighborhood
Wish she was mine, she looks so good

I wanna hold her, wanna hold her tight
Get teenage kicks right through the night

I'm gonna call her on the telephone
Have her over cos i'm all alone
I need excitement oh i need it bad
And it´s the best, i've ever had

I wanna hold her, wanna hold her tight
Get teenage kicks right through the night

I wanna hold her wanna, hold her tight
Get teenage kicks right through the night


segunda-feira, junho 28, 2004

E POR FALAR EM JESUS & MARY CHAIN....

...aí vão as melhores coisas já produzidas na Escócia

1 - Teenage Fanclub
2 - Jesus & Mary Chain
3 - Mark Knopfler
4 - Trainspotting
5 - Celtic x Rangers, o clássico mais casca-grossa do futebol mundial

...e as piores

1 - Uísque (eu não gosto, acredite)
2 - Belle & Sebastian

SÃO JOÃO

Aí vai um comentário que não tem muito a ver com a revista, mas vale o registro.

Confesso que eu sempre tive boa vontade com o São João. Sempre me esforcei para achar legal fogueiras, fogos, forró, etc. Mas sinceramente não deu. Resolvi escancarar o fato de que eu odeio mortalmente o período junino. Bom, eu gosto de milho cozido e tal, mas é só. O resto, junta e põe no lixo.

E ao invés de forró (ao contrário dos descolados, eu também odeio pé-de-serra), escutei muito Jesus & Mary Chain. Tudo a ver.

terça-feira, junho 22, 2004

COWBOY REAL

Peter Bruntnell. Muito foda. Inglês, mas domina a linguagem do country-rock como poucos. Dêem um jeito de escutar, nem que para isso seja preciso roubar, matar e até mesmo esperar horas para baixar as paradas no soulseek. E me digam se "Here come the swells" não é uma das canções mais belas desde sempre...

AINDA CAZUZA

Tem um erro que esqueci de mencionar no post anterior sobre o filme, mas que só é perceptível para músicos. Na cena em que o Barão Vermelho está numa kombi, indo fazer show no interior para a turnê do primeiro disco, dá pra perceber um reluzente amplificador Peavey Bandit 112 entre as tralhas. Detalhe: o primeiro disco é de 1984, e o Bandit, até onde sei, é no mínimo da segunda metade dos anos 90. É coisa de pentelho, eu sei, mas é divertido sacar essas coisas...

Ah, e o Guto Goffi ficou bastante inverossímil. O ator não tem nem um quinto da nareba do cara...

segunda-feira, junho 21, 2004

FAMÍLIA UNIDA

E Jack Johnson fez sucesso lá em casa. Minha mulher e filho também aprovaram. O moleque simplesmente se amarrou no som.

CAZUZA

Não gosto e nem tenho o menor cacoete para comentar filmes, mas o de Cazuza merece umas boas pauladas. Achei que ficou muito focado na porra-louquice e veadagem do cara, e muito pouco na música, o que de certa forma soa para mim como sensacionalismo. Há uns cortes bruscos na narrativa, como na cena em que ele recebe a notícia de que está com Aids. A cena é boa, mas dela o filme vai direto para o tratamento do cara em Boston, sem passar pelo sofrimento da família.

O que impressiona mesmo é o cara. Manda muito bem. Além da puta semelhança física, ele incorpora pra valer o Cazuza. É engraçado prestar atenção em como, à medida que vai envelhecendo, o sujeito vai ficando cada vez mais bicha e afetado.

Acredito que duas pessoas devem ter ficado putas com o filme. Primeiro o Robeeeeaaarto Frejat, que é retratado como o turrão e careta da banda, sempre estressado e paranóico com as loucuras de Cazuza. Ouvi dizer, inclusive, que Frejat espinafrou o filme numa entrevista, justamente por não concordar com a forma como foi mostrado. A outra é Ezequiel Neves, que no filme é "Zeca" (em alguns discos do Barão ele aparece como "Zeca Jagger"). Que ele é homossexual, sempre me pareceu claro, mas no filme é uma bicha looooooouuuuca. Não sei se uma pessoa que, de alguma forma, tenta ser discreta com relação à sexualidade gostaria de se ver escancarada como uma bichona.

sexta-feira, junho 18, 2004

AS PIORES LETRAS DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE - PARTE 3

A primeira em inglês. É o clássico trash 80´s "Wake me up before you go-go", do machíssimo duo Wham!. Vou colocar a letra toda, mas o mais foderoso, sem dúvida, é o refrão. Simplesmente impagável.

WAKE ME UP BEFORE YO GO GO

You put the boom-boom into my heart
You send my soul sky high when your lovin' starts
Jitterbug into my brain
Goes a bang-bang-bang 'til my feet do the same
But something's bugging you
Something ain't right
My best friend told me what you did last night
Left me sleepin' in my bed
I was dreaming, but I should have been with you instead.

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not plannin' on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
I wanna hit that high (yeah, yeah)

You take the grey skies out of my way
You make the sun shine brighter than Doris Day
Turned a bright spark into a flame
My beats per minute never been the same

'Cause you're my lady, I'm your fool
It makes me crazy when you act so cruel
Come on, baby, let's not fight
We'll go dancing, everything will be all right

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not plannin'' on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
I wanna hit that high (yeah, yeah, baby)

(Jitterbug)
(Jitterbug)

Cuddle up, baby, move in tight
We'll go dancing tomorrow night
It's cold out there, but it's warm in bed
They can dance, we'll stay home instead

(Jitterbug)

Wake me up before you go-go
Don't leave me hanging on like a yo-yo
Wake me up before you go-go
I don't want to miss it when you hit that high
Wake me up before you go-go
'Cause I'm not plannin' on going solo
Wake me up before you go-go
Take me dancing tonight
Wake me up before you go-go, don't you dare to leave me hanging on like a
yo-yo
Take me dancing

(Boom-boom-boom)

quinta-feira, junho 17, 2004

O CARA

Ele se chama Jack Johnson. Não é nenhum salvador da música pop, e pode cair no limbo do esquecimento em pouco tempo. Mas que faz som honesto, desencanado, e de primeiríssima, isso não se pode negar.

Na verdade, Jack Johnson é tudo que 10 entre 10 caras de bem queriam ser. Nascido e criado em Oahu (Hawaii), o maluco vivia pegando onda e fazendo filmes de surf, até que resolveu encarar a música mais a sério. Deu no que deu: elogios de Deus e o mundo...e de Ben Harper.

Não dá nem pra esconder as semelhanças entre os estilos dos dois, e o negão já virou brother do havaiano (até já andaram tocando juntos por aí). E a exemplo de seu objeto de inspiração, Jack Johnson é bastante habilidoso ao violão, instrumento que permeia a maioria de suas músicas, no melhor clima "luau havaiano". Um rolé pelo Kazaa e você vai ouví-lo interpretando coisas como "Rocky Racoon", "Rambling on my mind", "Trenchtown Rock", "Garden Grove" (é esse mesmo o nome da música do Sublime?), entre outras.

É isso. Muita gente vai detestar Jack Johnson, dizendo que já existe um Ben Harper no mundo. Que seja. Eu achei foderoso. E viva a maresia...

AS PIORES LETRAS DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE - PARTE 2

Essa é do Mestre Supremo das Letras: Humberto Gessinger. A primeira estrofe é algo de sensacional. Da primeira vez que eu li (depois de velho, pois eu não conhecia essa música) quase tive um troço de tanto rir...


NADA A VER

Um cão sem dono, uma árvore no outono
O nono mês de gravidez
Eu perco o sono, ao som de Yoko Ono
E telefono pra vocês

Às vezes eu acordo assutado
(A gente não tem nada a ver)
Mas quando eu te vejo do meu lado
(A gente não tem nada a perder)
De dia eu não te vejo nem desejo, eu vejo que no deu
(A gente não tem nada a ver)

Toda a noite, a noite inteira, eu penso em ti, eu penso em te encontrar
(A gente não tem nada a perder)
Nada a ver, nada a perder, nada a fazer, nada no....
Sinto muito, sinto tanto, no meu canto, enquanto a noite cai
(A gente não tem nada a ver)
Sinto saudade, verdade, nunca tarde, enquanto a chuva cai
(A gente não tem nada a perder)
Eu fico sem saber o que fazer, o que vai ser amanhã de manhã
(A gente não tem nada a ver)
Eu sonho com elegância, arrogância, extravagncia do Duran Duran
(A gente não tem nada a perder)
Nada a ver, nada a perder, nada a fazer, nada no....
Às vezes eu acordo assutado!
Às vezes eu acordo do teu lado!
Às vezes eu fico acordado !
Às vezes eu te vejo...
Às vezes eu te beijo...
Às vezes eu desejo...
s vezes eu...
Nada a ver, nada a perder, nada a fazer, nada não....
Nada a ver, nada a perder, nada a fazer, nada não....

quarta-feira, junho 16, 2004

MAIS UM RAMONE NO CÉU

Pelo andar da carruagem, parece que Johnny vai se juntar a Joey e Dee Dee lá em cima. O cara tá perecendo, vítima de um câncer de próstata. Segundo Marky, a situação tá feia mesmo, e é apenas questão de dias o sujeito passar dessa para melhor.

Pobre Johhny. Aproveito esse momento para retirar os votos de raiva que lhe fiz ao saber que você é um ardoroso defensor do governo Bush e de toda sua "política" para o mundo. Se tiver de ir, que vá em paz. E se quiser deixar comigo sua Mosrite clássica, manda ver. Vou cuidar bem dela, prometo.

AS PIORES LETRAS DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE - PARTE 1

Hoje eu vou começar a postar aqui as piores letras já escritas desde que o Mundo é Mundo. Pra começar, uma pérola de Robeeeeaarto Frejat. O pior é o que o riff do refrão dessa música é massa...


QUEM VOCÊ PENSA QUE É?

Não quero sair com qualquer vagabunda
Ser devorado por fés moribundas
Não vou brigar por coisas pequenas
Deixar que o ciúme estrague o que vale a pena

Não fiz nada de mau pra ser enjaulado
Eu nunca me senti um sujeito culpado
Não leio a bíblia, não encomendo despacho
E pouco me importa o que você acha ou não acha

Vivo a minha vida como ela vier:
Com chá, cachaça, uísque ou café
Não tento ensinar o que ninguém sabe
Afinal, quem você pensa que é?





ESSA É BOA

Vão ao google e digitem, entre aspas, "weapons of mass destruction". Depois façam a procura no estilo "estou com sorte". A parada é engraçada...

terça-feira, junho 15, 2004

AINDA MR ZIMMERMAN

Meu disco preferido de Bob Dylan - Blood on the Tracks - vai ganhar um concerto alusivo a seus 30 anos. A farra vai rolar no próximo dia 29, no Merkin Hall, NY (http://www.ekcc.org/merkin.htm). As músicas vão rolar na ordem em que aparecem no disco. Pelo que entendi, Mr Allen Zimmerman não vai participar, mas isso também não fica claro nas matérias a respeito. Vejam o set list e os convidados:

Toshi Reagon - "Tangled Up In Blue"
Citizen Cope - "Simple Twist of Fate"
Ollabelle - "You’re a Big Girl Now"
Jeffrey Gaines - "Idiot Wind"
Joan Osborne - "You’re Gonna Make Me Lonesome When You Go"
Vernon Reid & Marc Anthony Thompson - "Meet Me in the Morning"
Brandon Ross - "Lily, Rosemary and the Jack of Hearts"
Jen Chapin - "If You See Her, Say Hello"
Richard Barone with Tony Visconti - "Shelter From the Storm"
Jesse Harris - "Buckets of Rain"

Eu gosto muito desse disco. Muito mesmo. Eu o ouvi ontem, por coincidência, antes de saber dessa parada do show. Pra mim, Bob Dylan não conseguiu, em toda sua vasta obra, escrever daquele jeito de novo. Blood on the Tracks é emocionante de cabo a rabo. Pode te fazer ficar mal pra cacete, e logo depois jogar um pouco de luz sobre esse bode. O que eu acho mais foda nesse disco foi a coragem que o sujeito teve em escancarar a vida pessoal (mais precisamente, o casamento fracassado). Deve ter sido um exorcismo, uma terapia, sei lá. Sei que uma música tão bela quanto "Simple Twist of Fate" não brota por aí de bobeira. Tem que ser pelas mãos de um cara como Bob Dylan.

segunda-feira, junho 14, 2004

PRA QUEM PODE

Não contente em SER Bob Dylan, ele ainda tem um site tão legal. Quem ainda não viu, por gentileza, se faça um grande favor: www.bobdylan.com

QUAL É A PRÓXIMA?????

É o foderosíssimo Beatallica fazendo escola. Já rola na net uma banda chamada Gabba, que mistura Ramones com Abba. O nome da banda é bom, mas os títulos das músicas nem tanto. Dêem uma olhada no www.gabba.co.uk. Agora a pergunta de um milhão de reais: quais as próximas misturebas?

sexta-feira, junho 11, 2004

O MISTÉRIO DO SAMBA

É ou não é um saco a moda de samba-rock-balanço-funk-soul que se instalou entre os descolados do Recife? Eu achava massa os sons (vá lá, ainda gosto), mas já tô enchendo o saco por conta da modinha. E olha que eu nem vou nas baladas, shows, essas coisas, senão já tinha acertado um doidão em algum fashionista desses, que se acha "in" por ouvir Trio Mocotó.

terça-feira, junho 08, 2004

ESSA EU QUERIA TER VISTO...

Lars Ulrich, o baterista dos contratempos fantásticos, teve um tererê antes de um show do Metallica em Donington. Em seu lugar tocaram três caras: o baterista do Slipknot, o técnico de bateria de Ulrich e...DAVE LOMBARDO! O cara abriu o show tocando "Battery" com o Metallica. Isso deve ter sido antológico.

Leiam a matéria: http://www.metallica.com/index.asp?item=3164

segunda-feira, junho 07, 2004

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Leiam a melhor notícia do dia:

Banda Creed anuncia seu fim, depois de oito anos

LOS ANGELES (Reuters) - A banda de rock Creed, que vendeu mais de 30 milhões de álbuns em todo o mundo, se desfez após mais de oito anos. Seus integrantes estão envolvidos em novos projetos.

A banda da Flórida, uma das mais bem sucedidas na era pós-grunge do final dos anos 1990, com sucessos como "Higher" e "With Arms Wide Open", anunciou sua dissolução com uma mensagem divulgada na sexta-feira em seu Web site oficial.

O compositor e guitarrista Mark Tremonti e o baterista Scott Phillips vão se juntar ao baixista original da banda, Brian Marshall, e a Myles Kennedy, ex-integrante do Mayfield Four, para criar uma nova banda, a Alter Bridge, que vai lançar seu álbum de estréia em 10 de agosto.

"É um pouco triste encerrar um capítulo de nossas vidas, mas também é instigante estarmos iniciando outro", disse Tremonti na declaração publicada pela banda.

sexta-feira, junho 04, 2004

GUITAR NIGHT

E não é que vai rolar hoje, aqui no Recife, uma parada igualzinha àquela do Steve Vai, Joe Satriani e Yngwie Malmsteen? É o Recife Guitar´s Night, que começa às 19h, no Teatro do Parque. O G-3 nordestino é formado por Beto Kaiser, João Guitarra e outro maluco que eu não conheço.

Eu acho Beto Kaiser um dos músicos mais foderosos daqui. Muito bom mesmo. Um cara a quem se pode aplicar o termo "rock´n´roll" com muita propriedade. João Guitarra também é bom, mas tem os dois pés cravados no late80´s-early90´s-fusion-metal-groove que eu abomino. Do outro camarada eu nunca ouvi falar, mas li em algum lugar que ele é influenciado por Paganini. Fodeu, outro Yngwie Malmsteen...

Se não houvesse rito no Templo Sagrado hoje (leia-se: jogo do Sport na Ilha) eu até iria para esse lance. Acho que vai ser divertido. Cada cara vai tocar 40 minutos, e depois os três vão "duelar" no palco, igualzinho ao G-3 original.

O que eu mais queria era ver a cara daqueles adolescentes aspirantes a punheteiro (não no sentido original da palavra, mas no figurado: o cara que punheta a própria guitarra...), babando na frente do palco.

E ver Beto Kaiser tocar vale a pena em qualquer ocasião...


quinta-feira, junho 03, 2004

LOS HERMANOS

Cá entre nós: ganhar da Argentina é bom pra cacete...

Só não foi melhor porque foi na bola mesmo, sem roubo. Tem mais graça quando rola uma garfada escabrosa a nosso favor, tipo a mão de Túlio na Copa América de 1995.


terça-feira, junho 01, 2004

NOVO MARACANAZO

Só podia ser o Ricardo Teixeira mesmo. A nova do sujeito é querer demolir o Maracanã para construir em sua lugar um estádio menor e, principalmente, com muito mais lojas e vagas para estacionamento. Tudo, claro, para que ele possa faturar ainda mais com contratos de publicidades e "otras cositas más".

Obviamente, a idéia de se ter um campo de futebol mais sintonizado com a modernidade e com o bem-estar do torcedor é extremamente louvável, mas daí a demolir o MARACANÃ? Há estádios que devem, sim, ser implodidos de forma a se adpatarem às exigências do século 21. O Atlético Paranaense fez isso, e ergueu a Arena da Baixada, o mais moderno estádio da América Latina (tem até McDonald´s, se você quer saber).

Mas existem outros campos que, por pura mística, não podem sequer serem levados em consideração quando o assunto for sua demolição.

O glorioso Estádio Mário Filho é um deles. Como "templo" do futebol, só teve um rival, por coincidência, ridiculamente implodido em nome da "modernidade": o Wembley Arena. Foi o Maracanã que, no ano de sua inauguração (1950) serviu de palco para a maior tragédia da história do futebol brasileiro: a derrota para o Uruguai na final da Copa do Mundo - fato celebrado pelos uruguaios como "Maracanazo".

E, da mesma forma, nos serviu de alegrias ímpares. Os emocionantes duelos entre o Botafogo de Garrincha e o Santos de Pelé, nos anos 60; o sensacional Fluminense de Rivellino dos anos 70; o imbatível Flamengo de Zico, Júnior, Andrade, Adílio e Nunes nos anos 80.

No Maracanã foi disputada a mais inusitada final do Brasileirão: Bangu e Coritiba, em 1985 (os paranaenses levaram a melhor nos pênaltis).

Foi lá que ganhamos a Copa América de 1989, em cima do mesmo Uruguai. Gol de Romário...

Em 1993, também num Brasil x Uruguai no Maracanã, o mesmo Romário carimbou o passaporte para a Copa que ganharíamos em 1994, depois de 24 anos de jejum.

Eu tenho o prazer de conhecer o Maracanã. Me faz um bem danado lembrar do sentimento que eu tive ao subir aquela rampa. E ao subir as escadas que dão acesso ao anel superior da arquibancada, parecia que eu iria entrar em campo, tal era o nervosismo. E a visão daquele mundo de concreto? Para um fanático por futebol não há nada igual no mundo.

E mais: ver um Fla x Flu no Maraca, com 107 mil pessoas se esgoelando, é uma experiência que toda pessoa deveria ter na vida.

Bom, espero que essa idéia absurda de demolir o Maracanã vá por terra. E que as cabeças pensantes do futebol nacional procurem um outro lugar para construir o tal "estádio moderno". Deixem o Maracanã lá no cantinho dele, e se estão preocupados, dotem-no de modernidade na medida do possível. Já basta pensar que aquela belíssima arquitetura do Wembley Arena (e toda sua mágica) hoje viraram pó...

Acho que falei demais, mas é que a indignação com o Dr Teixeira tá grande. Do tamanho do Mário Filho.